A vida é uma delícia, não é?

agora100

Era uma vez, uma jovem senhora que procurava o lugar perfeito para viver. Alguma coisa dentro daquele coraçãozinho inquieto, saltitava cheios de perguntas sobre a vida, ser feliz e viver em paz. Caminhava apressada em busca do seu lugarzinho nesse mundo. Sabia instintivamente, que quando encontrasse o tal lugar, reconheceria a magia e os significados de sua busca. Alguns anos se passaram, não podia negar que havia sido feliz, mas sentia que algo ainda não estava no lugar: ELA MESMA.
– Como saber para onde ir? Como chegar, se nem sei onde vou?
Acontece que ela procurava algo que não se busca, se reconhece. E a gente só reconhece aquilo que não procura. Desse jeito mesmo: ao acaso. Só que nem tão ao acaso assim. É preciso estar atento aos detalhes, bem atento.
Veja bem, a jovem senhora que procurava seu lugar perfeito para viver, passou a procurar o que era perfeito no lugar que vivia. Entendeu?
Nada passava por ela sem ser minuciosamente observado e apreciado. Cada momento era sentido intensamente, as oportunidades eram conectadas aos sentimentos, e suas emoções obedeciam a ordem crescente de uma escala positiva, adotada por ela, para nunca mais permitir que influências negativas alterassem as cores da vida. Jogou fora todos os números não essenciais para sua sobrevivência. Isso inclui idade, peso e altura. Passou a frequentar somente os lugares que a deixavam alegre, coisas baixo astrais foram eliminadas de vez, e não havia decreto que a fizesse voltar atrás nessa decisão. Lições duras haviam lhe ensinado que lágrimas acontecem. Basta aguentar firme, sofrer e seguir em frente.
– “A única pessoa que acompanha você a vida toda é VOCÊ mesma. Esteja VIVA e FELIZ, enquanto viver”. Ouviu um conselho, numa tarde doída de um inverno sombrio. Nunca mais fez viagem de remorso. Viajava para cidades vizinhas, ia ao shopping, ao parque de diversão, mas não viajava mais ao passado choroso.
Aprendeu a dizer a quem ama, que realmente os ama, em todas as oportunidades.
Percebeu que podia tudo, quando respirava fundo e deixa a vida mostrar o que fazer.
Um dia, de tanto treinar e apreciar a respiração, perdeu o fôlego… de tanto rir, de surpresa, de êxtase, de felicidade: reconheceu que seu lugar perfeito era seu próprio coração. Por onde ia, carregava seu lar, seu refúgio.
Podia viver de lembranças alegres, música, família, animais, plantas, livros e tudo que mais gostava. Na rua da Praça, número 11 em frente ao bosque, onde (Lembra que falei que nada é tão ao acaso assim?) também viveu um Bruno. Um paraíso para esse coraçãozinho que decidiu ser feliz para sempre.

E agora? 2015.

Vivemos numa sociedade que nos molda e atesta a todo instante. Tantas expectativas para corresponder, e quem sabe conseguir ser quem o mundo espera que sejamos. A família, a religião, a política, a sociedade, o nicho de amizade, tantos padrões. O tempo é curto, muitas vezes nem temos “audácia”de tentar ser apenas quem somos. Uma pena.
Quando a humanidade aprender a Ser Humano, na essência de Ser Humano (não espécie), aprenderá que só importa o bem estar. Mas ainda medimos bem estar pelos padrões tortos impostos pela ditadura do Ter. Esperamos o dia que teremos aquele carro para ser feliz. Teremos o dobro da alegria se tivermos o dobro do nosso salário. Poderemos curtir mais nossos filhos quando nossas expectativas materiais estiverem atendidas. Bobagens, o contrário é mais verdadeiro, e poucos compreenderam isso. Cultivamos a ganância que o mundo nos ensinou como característica principal. Competição. Uma corrida desenfreada para ter, cada vez mais, a vida que o outro tem. Quando se vê, os filhos cresceram, os amores morreram, a vida passou. Nem sempre quem tem, é. Mas invariavelmente, quem é… Tem.
Porque não nos ensinam que Sentir é Ser? Sentir a vida é atrair o que se quer. Quando se sente, se tem.
O que nos trás aqui vai além de qualquer poder material. O que nos trás aqui é o que poucos andam buscando, o poder de Ser quem se é. Sem comparações, sem exigências, sem padrões. Ter o que se tem. Ser feliz onde está. Cooperar e Colaborar. Ser autêntico, passivo e amoroso.
O mundo ainda acredita que ser assim é ser ingênuo. E dita a cultura do: “Quem será o próximo macho alfa”, de um bando que ainda não aprendeu a ser coletivo.
O grande desafio da humanidade não é aprender a racionar água, exigir direitos, nem aprender escolher seu governo. O maior desafio é conseguir mudanças significativas por outro caminho que não seja a violência. Precisamos aprender a falar, sem criticar. Fazer, sem cobrar. Exigir, sem condenar. Um retrocesso para a humanidade que aprendeu tudo, menos amar o próximo e a si mesmo.

E o dia começa melhor assim

image
Ao abrir os olhos pela manhã, peça a Deus para que seu dia seja inspirado nos princípios básicos que elevam a mente, a alma e o corpo. Mais um dia lindo, outra terça-feira, quantas possibilidades incríveis. Está bem humorado? Que coisa boa, sua escala emocional focado no lado positivo de viver. As coisas não andam tão bem assim? Tudo bem. Respira fundo, lembre-se de que não há mal que dure para sempre. Ainda que você não consiga imaginar o lado bom da dificuldade que vive agora, tente ao menos encontrar algo bonito para descansar seu olhar, e uma vez que selecionar a beleza desse mundo como foco de sua atenção, a paz que tanto precisa pousará, serena, sobre suas angústias, acalmando seu coração. O mundo não está contra você, às vezes a gente se esquece de que somos nós mesmos os responsáveis pela nossa felicidade. Quando deixamos nosso pensamento voar leve, nas asas da imaginação, num aviãozinho de papel, ele vai pra um lugar onde tudo é mais colorido, todo mundo sorri feito criança e todo dia é igual começo de verão. Onde o abraço é mais forte, é lá que mora a sorte, na trilha da esperança que vive o amor. Quando se entregar a esse sonho, vai perceber que você faz sua vida mais bonita, quando deixa seu coração dançar a cantiga da vida, ainda que esteja triste, cante a alegria. Felicidade, meu pequeno Alfredo, é de quem nela acredita.
E que o dia seja recheado de pequeninas coisas bonitas.
❤️

REALIZE SUA ALEGRIA E SIGA SEU ENTUSIASMO.

Não tenho a menor ideia aonde vai me levar meu entusiasmo, mas sei que minha alegria é escrever Cartas para você, pequeno Alfredo. Por algum motivo muito forte, eu sinto que devo dizer a você e a todas as pessoas que nos lêem que é possível ser feliz apesar de qualquer pesar.
Eu já perdi um grande amor para a morte, perdi dinheiro, a privacidade (por minha culpa, e de mais ninguém). Já perdi tanto tempo tentando compreender o incompreensível. De repente algo tão simples sussurra aos meus ouvidos:
REALIZE SUA ALEGRIA E SIGA SEU ENTUSIASMO.
Eu cheguei acreditar que não seria mais feliz. Que alegria não fazia parte do meu pacote de viagem.
Do ponto de partida do meu sofrimento, não conhecia ninguém que tivesse sido “pisoteada” pelo destino e estaria numa curva da estrada acenando uma bandeira me indicando o caminho para sair do atoleiro.
E mesmo que tivesse capaz de eu passar reto e não enxergar a saída para felicidade.
A vida é tão clara. E tão cara. Retribui a intensidade do tapa ou do abraço.
Levou um tempo, mas percebi a alegria como algo simples, singelo, leve e singular. Que não depende de nada para explodir no coração. Levou um tempo para enxergar merecimento por coisas boas, ainda que pequenas, e escondidas atrás de tantas ruins.
Sabe o que é bom hoje? Respirar fundo e sentir que respirar faz feliz. Ver que o futuro vai chegar independente da tentativa de controlar sua vinda. Ver o ano passar e mais um natal e um réveillon. Nenhum dos dois foi melhor nem pior do que os que já passaram; foram novos e diferentes, carregados de emoção. Disso sou feita hoje: emoção viva e pulsante.
Como eu queria ser capaz de iluminar o mundo com o que trago dentro de mim: gratidão, muita gratidão. Mal nenhum mata ninguém; dor de alma alavanca crescimento; dificuldade molda caráter.
Eu não sabia por que, mas precisava (re) fazer a vida com minhas mãos, enfrentando dia a dia as dificuldades que surgiriam, matando cada leão. Desculpe se em alguns momentos não pude ser a mamãe que você queria. Obrigada a minha família, inclusive Ferreguetti Mendes, por permitirem que isso acontecesse, não poderiam ter me dado melhor presente que a confiança em minhas capacidades. Fomos carregados por anjos. A cada dificuldade a vida oferecia, também, oportunidades. Todos os leões me levaram cada vez mais longe na evolução da dor e do sofrimento, que, diga-se de passagem, só passaram quando eu decidi que era hora deles seguirem sozinhos.
Eu jamais imaginei que sentiria alegria que sinto, porque essa é uma conquista serena e não adormece mais.
Todo mundo pode se sentir assim, se eu consegui qualquer um consegue. A vida nos dá de presente o que pedimos, com exceção das surpresas desagradáveis, mas ainda assim ela te oferece oportunidade de transformar essa experiência naquilo que você quiser.
Não escolha prolongar sua tristeza, dor ou sofrimento, eu fiz isso por muito tempo, talvez o tempo necessário para sentir a vontade de dizer: Não prolongue sua tristeza.
Seja lá o que estiver incomodando sua vida, escolha se sentir bem. De alguma forma busque alternativas. Eu procurei ver a beleza em tudo que via, deixei de ler noticias ruim, assistir na TV o que não me acrescentava nada, parei de frequentar lugares estressantes. Gradativamente fui deixando de fazer muita coisa que não me fazia bem, até tomar posse de minhas escolhas a ponto de tomar decisões maiores ainda. Claro que nem tudo são flores, e colhi muitos espinhos pelo caminho.
Persistência e disciplina fizeram toda a diferença. Da menina medrosa nasceu uma sonhadora incansável. Dos meus medos, fiz aliados. Muito ainda a realizar. Hoje tenho paixão por escrever para você.
REALIZE SUA ALEGRIA E SIGA SEU ENTUSIASMO.
Com coração cheio de alegria vejo esse propósito, como uma missão. Vivi anos com alguém que morreu sendo a essência da alegria, e que seguia seu entusiasmo á risca: seu pai.
Era o que eu precisava aprender. Hoje, o que quero te ensinar. E continuar aprendendo também, porque alegria e entusiasmo precisam expandir, alargar, dilatar, estender, difundir e retornar através de laços fortes.
A alegria de viver é a correnteza por onde flui o amor incondicional. Nela me entrego e dela me refaço.
Gratidão Bruno, por continuar me ensinando com sua partida, tudo que começou a me ensinar em vida.
Só existe Vida e Amor, isso é tudo.

Sabe o que é o estado da arte?

Expressão usada para definir um nível mais alto de desenvolvimento seja de um aparelho, de uma técnica ou de qualquer área, um estado alcançado que define a excelência no que se propôs. Jimi Hendrix é considerado o estado da arte na guitarra, Picasso nas artes plásticas, a Aplle no mundo dos eletrônicos.
Quando se pensa que o “estado da arte” naquilo se faz pode ser alcançado por qualquer um, a gente logo imagina impossível, afinal, como ousar nos comparar com Jimi Hendrix, Picasso ou a Aplle?
Quem aí viu o filme do Stevie Jobs lembra da frase: “Quando você percebe que tudo de mais extraordinário que existe no mundo, foi feito por pessoas que não necessariamente são mais espertas e nem mais inteligentes que você, o mundo munda, porque você começa acreditar que também pode”.
Onde foi que largamos nossa capacidade de acreditar que podemos? Se você vende alguma coisa, pode atingir o estado da arte naquilo que faz; se é atende numa empresa de telefonia, pode atingir o estado da arte naquilo que faz. Seja lá o que for, pode ser o melhor do mundo.
Sabe o que leva um artista a pintar uma tela em branco e torna-la um exemplar que vende milhões? Ser ele mesmo. Sabe o que leva uma pessoa comum a se tornar referência no mundo dos negócios? Ser ela mesma.
Ser você mesmo é o estado da arte de existir. Todo mundo trás de dentro de si o que sabe fazer com excelência, todo mundo tem uma paixão que o motiva a buscar ser o melhor, todo mundo pode e deve ser quem ele é. O estado mais puro da arte de ser.
Uma criança é assim, pura excelência. Observe como ela rabisca um papel e te entrega como uma tela de Picasso. Veja como ela toca sua guitarra de plástico, sem se importar com sua audiência, se achando o próprio Jimi Hendrix. Sabe mais que Stevie Jobs e é capaz de comunicar por telepatia com os bonecos do seu quartinho.
Esses mini gurus são entregues a nós, pais e mães. Sem querer, acabamos com sua criatividade, e o mundo com sua autoestima.
Se eu nunca mais puder mais falar e nem escrever para você meu pequeno, queria que soubesse apenas:
Que a paixão que está dentro do seu coração, pedindo para ser ouvida, é a essência de quem você é de verdade. Deve fazer dela sua vida. Nunca desista de ser e viver no mais puro estado da arte.