Ser grato, apesar de tudo.

Como ser grato pelo sofrimento?
Sofrimento ensina.
Nenhum convite ao domínio moral é tão persuasivo quanto o do sofrimento. Ele te faz enxergar com clareza a necessidade de uma reforma íntima, urgente. Evidencia sua capacidade própria de crescer emocionalmente, a níveis que jamais ousou pensar ser possível. Se está sofrendo, recebeu um convite para se tornar a melhor versão de si mesmo. Se a sua dor é tão grande que não consegue nem mesmo perceber isso, acredite: recebeu uma intimação. Chegada a hora de aceitar a vida, deixar ir embora o que não faz mais parte dela, receber o que ainda vai chegar. Não deixe que esse sentimento sofrido e doído que te machuca agora, sufoque sua decisão de vencer. Não permita que ele “se esconda”, mascarando os sinais de que existe, está aí, fincando seu coração como alfinete afiado. A pior dor desse mundo é a dor de alma mal curada. Não é negando a si mesmo essa dor, que ela vai deixa-lo, ao contrário, ela voltará fortalecida, heroína de uma batalha que é sua, basta assumir a postura de capitão da sua própria vida. A verdade absoluta nos aparece, quase sempre, no momento da dor, ou diante das decisões mais difíceis.
Quando dá voz a sua gratidão, seja lá qual for a experiência que estiver vivendo, não só assume o comando da sua jornada, como se entrega ao fluxo mais intenso e incrível da sua vida. O fluxo impecável do amor incondicional. Nessa corrente de certezas que todos nós, peregrinos nessa misteriosa aventura chamada vida, vamos desaguar. Amar incondicionalmente liberta, acalma e justifica. Quando compreende que precisa apenas ser grato e pensar positivo, você se sente livre, de repente começa a sair facilmente da areia movediça dos dramas intermináveis que vivencia. Você possui dentro do seu ser energias e forças que você mesmo desconhece, e tem tudo que precisa para viver e ser feliz. Confie em si mesmo, e na sua capacidade de vencer. Isso pode até parecer estranho se for seu primeiro contato com afirmações positivas, mas é a nossa verdade. Repita a você mesmo quantas vezes for necessário, até que sua mente se familiarize com a essência única do ser.
Se não encontrar nesse momento nada pelo qual seja grato. Agradeça sua respiração, ela não depende de nada para acontecer. Se ainda assim, não sentir que deva ser grato por ela, fique em silêncio e apenas sinta sua respiração. Sinta ao máximo sua capacidade. Perceba quanta angustia experimentaria se de repente não fosse mais capaz de respirar, mas ainda precisasse dela. Imagine-se tentando colocar o ar em seus pulmões, satisfazer a necessidade simples e básica de oxigenar seu corpo, sem sucesso. O dom de respirar lhe é dado, quer você queira ou não, enquanto estiver vivo. Sinta-se grato por isso.
O poder de curar, salvar e acertar sua vida, não é diferente da respiração. Ele é dado a você, basta confiar nele.
Businesswoman facing a choice

Para sempre um novo amanhã

Sobre você. Sobre os outros. Sobre a vida.
Meu propósito, quase um desafio.
Quando transformei essas páginas em um desabafo da dor que arregaçava meu peito, não tinha idéia que isso me faria tão bem. Era apenas uma forma de regular minhas lentes sobre a realidade que se desenhava diante de mim. De repente, eu me vi te entregando ferramentas, quase um manual de sobrevivência, caso eu não esteja por perto.
Cartas para Alfredo, para você Pequeno Gigante, nasceu com a morte. De uma parte de mim, principalmente. De uma necessidade de te contar histórias, de te falar de um amor, de deixar registros do meu amor por você.
Pretendia te ensinar, até enxergar que quem precisava de lição, era eu.
Com a fantástica interação que o universo virtual nos proporciona, a cada nova carta aprendo com o modo de pensar e sofrer dos outros. Enxergo outros dramas, me espanto quanto a vida pode causar, vibro com a superação.
Escrever já foi um dia, exercício para por o pé no chão e reaprender a caminhar. Hoje é o instrumento de uma imaginação com asas frenéticas.
Cartas para Alfredo é para quem nos conhece, para quem vive, para quem nunca ouviu falar, para quem tem curiosidade, para quem não sabe o que a vida reserva, para quem é amigo, para quem está com saudade, para quem quer nos ensinar, para quem quer aprender, para quem quer que seja.
Uma feliz surpresa foi encontrar tanto amor pelo caminho, e perceber que é verdade absoluta que o modo como olhamos o mundo, é o modo como o mundo se apresenta a nós.
Eu me transformei numa apaixonada pelo novo. As mudanças nos fazem jogar fora o que não precisamos mais, mas que por puro comodismo, ainda guardamos. Eu descobri que até o café na mesa improvisada da varanda, coisas que só quem está de mudança se identifica, tem gosto de novinho em folha.
Mudança de qualquer natureza, vida, casa, ou cidade, te faz remexer velhas gavetas e limpar poeiras antigas. Reorganizar a bagagem, descartanto o que não serve mais.
Pois é isso, nossa vida é feita de mudanças, impossível conter os imprevistos, estamos em fluxo, na correnteza da vida. E uma coisa é certa: ou você aceita a mudança, ou sofre com ela.
Você pode até resistir. Mas, mantenha sua mala a postos. Você nunca sabe quando irá precisar dela.

E agora? Amar-se é a resposta.

Exatamente isso. Amar-se é a resposta.
Não dá para programar amor para amanhã; e se amanhã quem você queria amar deixar essa vida? ou começar amar outra pessoa?
Quantos dias felizes você tem deixado de viver, porque está programando começar a se amar, amanhã?
O amor é pra ser vivido agora. Isso me marcou.
Na velocidade infernal de nossos dias, pulamos constantemente do passado para o futuro. O momento presente, o único lugar onde a vida acontece, fica perdido. O amor por nós mesmos, o mais importante de todos, é adiado em virtude de tantas prioridades. O amor pelo filho, marido, pai e mãe, irmãos e amigos, até demonstramos, mas porque sempre falta alguma coisa quando se fala de amor?
Nos falta amor próprio. Não falo de ego, nem de egoísmo. Sou sua mãe Pequeno, e deixo de lado qualquer prioridade minha para atender a sua. Além do mais, egoísmo não combina com amor. Quando se trata de amar, sempre haverá dois pesos e duas medidas.
Amar a si mesmo, é o maior presente que alguém pode dar a quem convive. Uma pessoa que se ama, encontra energia e força que ela mesma desconhecia ter. Ela sabe como ser feliz independente da situação que vive, confia em si mesma e na capacidade que tem de vencer desafios e obstáculos.
Quando nos amamos, nos livramos do ressentimento de ser julgado por falhas, pois, compreendemos que não importa se acertamos ou erramos, sempre seremos aceitos por nós mesmos. E no final das contas, só importa superar-se, alinhando-se ao melhor que puder se tornar.
Tome a decisão imediata de se ouvir, com cuidado e atenção. Pratique ficar em silêncio, cinco minutos do seu dia. Você pode se sentir desconfortável nas primeiras vezes, achar que não consegue, que não “se ouve”, pode até mesmo achar que isso é ridículo.
Mas acredite, eu consegui aprender a me amar. Não precisei deixar de lado absolutamente nada da minha rotina. Tenho aprendido a não permitir que nenhuma condição externa, controle minha vida e minhas emoçoes. Tenho assumido a responsabilidade pela minha felicidade, um pouquinho mais a cada dia, na medida que páro e me escuto.
Faça isso por você, meu filho. Você descobrirá uma verdadeira liberdade, uma felicidade incondicional, quando compreender que se amar é se ouvir. Você descobrirá que ser feliz não depende de nada, e nem de ninguém.
Sua felicidade depende apenas daquilo, ao qual decide dar sua atenção.
agora.

Festa no Céu

Gosto da idéia de ligar os pontos. Ser surpreendida por algum acontecimento no presente, que me leve de volta ao passado, dando sentido novo a realidade.
Caveiras nunca botaram medo na gente. Camisas, quadros, cinzeiros, até uma tatuagem no braço esquerdo seu pai fez, pouco antes de partir. O símbolo do Grateful Dead, banda que ele adorava, é uma caveira divertida rodeada de rosas vermelhas.
Apesar da “leveza” da decoração, a MORTE nunca foi bem vinda. Até que um dia, tivemos que aprender (mesmo que na marra) a conviver com a senhora terrorista.
Alguns anos passados, um bocado de aprendizado. Sinto-me preparada para te contar a única certeza que se tem nessa vida, com as palavras de Cassiano Ricardo: “desde o instante em que se nasce, já se começa morrer”.
Não nos ensinam a encarar esse fato, na verdade nem se fala muito sobre isso. Gozado, como a morte é tabu, mito, causa medo e assombra. A maior afirmação de todas, e ninguém ousa falar muito. Você pode ser rico, ou não. Pode se casar, ou não. Pode ter filhos, ou não. Pode ser feliz, ou não. Mas morrer? com certeza você vai.
- Mamãe, quero ir ver Festa no Céu NA CINEMA – você diz, assim mesmo: “NA CINEMA”.
Curiosa, porém, certa da resposta, pergunto:
- Por quê?
- Por que, meu papai Bruno vai.
Não teria um dia melhor pra te levar a “Festa no Céu” que o dia de Finados, melancólico e triste pra quem tem alguém no andar de cima. Durante toda minha vida, encarei o dia 02 de novembro como um dia morto, e sempre chovia. Na minha fértil imaginação de criança, assossiava a chuva ao choro de quem estava lá do alto, olhando pra gente aqui em baixo.
Aprecio o jeito alegre e divertido com que os mexicanos lidam com a morte, acho bacana como celebram os mortos. Achei o máximo o filminho. Você nem tanto, decepcionou-se logo que entendeu que não veria o papai Bruno, e dormiu no meu colo.
Fiquei diante da telona, admirando o roteirista do filme, achando incrível que as caveiras que seu pai tanto gostava, me contavam uma história alegre e feliz sobre a morte, essa danada que levou ele pra longe da gente. Gostei de ver que “La Muerte” é uma bela Muchacha, com cara de caveira colorida, certamente ele aceitou de bom grado seu convite para dançar. Devem discutir até hoje quem seduziu quem primeiro.
Está resolvido. Daqui pra frente vamos celebrar o dia dos “Lembrados”, decreto fim dos “Finados”. Esse ano de 2014 fez um belo sol em Vila Velha. De agora em diante apenas Vida, afirmação que aprendi com a morte. Existe muita vida em quem morreu e deixou história; é gostoso lembrar de quem partiu, quando galopamos na saudade rumo as lembranças alegres e vivas.
Lembre-se meu pequeno: para morrer você não precisa de nada, vai morrer de qualquer jeito. Então tenha coragem de ser feliz, porque para viver? Sim, para viver é preciso muita coragem.
caveira1

Você pode escolher a felicidade, sempre.

Agora a pouco, num momento de desânimo, daqueles em que você olha para uma coisa que gostaria muito que desse certo, mas uma duvidazinha cruel insiste em te rodear. Você começa acreditar que sua felicidade virou a esquina.
Eu decidi acompanhar seus passinhos de perto, confiei no incômodo que meu trabalho me causava, deixei alguns objetivos materiais de lado. Havia decidido buscar algo que me trouxesse uma realização gratificante como “Gente”. Não quero apenas executar tarefas. Quero uma vida de propósitos, quero influenciar pessoas, quero ajudar a construir um mundo mais feliz, colorido, decidido, confiante, realizado e principalmente: mais amoroso.
O que nos motiva, nos trás alegria, nos causa felicidade, está dentro de nós mesmos.
Num dia de muita tristeza, eu li uma frase linda, psicografada por um amigo: “A felicidade jamais poderá ser atribuída a pessoas, fatos ou coisas, pois, se os mesmos faltarem, não existirá motivos para ser feliz. Ela, a felicidade, é uma conquista interior, alcançada a cada passo da jornada”.
Hoje a tarde, ouvi um desabafo que esbofeteou minha consciência a respeito do que sei sobre a alegria de viver. Uma senhora, declarou em alto e bom som: – Sou casada a 24 anos, e não fui feliz nenhum dia.
Que triste.
É mais fácil encontrar coisas positivas em alguns lugares que em outros, mais fácil encontrar atitudes positivas em algumas pessoas que em outras. Mas de nada adianta buscar lugares perfeitos ou relacionamentos perfeitos, se para eles levaremos nós mesmos – conosco.
Nossa tarefa é encontrar as coisas boas que queremos em todas as pessoas, e em todos os lugares.
Quanto mais apreciarmos o que é bom (mesmo que ainda exista o que é ruim), mais do que é bom teremos. Sua felicidade depende apenas daquilo, para o qual decide dar sua atenção.
Tatua a felicidade na alma, e vai.
large (11)